Blog

Como seu empreendimento pode contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU?


Os impactos gerados no meio ambiente pela atividade humana vêm mobilizando organizações (sejam elas empresariais, governamentais ou mesmo sociais) para o foco na sustentabilidade. Nesse cenário, a Organização das Nações Unidas (ONU) consolidou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) com o intuito de alinhar e atingir metas quantitativas.

Alguns comportamentos que existiam antes não são mais aceitos, e as empresas precisam se adequar a um novo papel ambiental. Sendo assim, o conceito ESG (Environmental, Social and Governance) foi criado como uma métrica para avaliar o desempenho das organizações, estabelecendo critérios de conduta nas áreas ambiental, social e de governança.

Por que você precisa aderir a sustentabilidade ao seu negócio?
Companhias e fundos já estão posicionados ou se movimentando para definir estes critérios e apresentá-los como diferenciais no mercado. Para os investidores, a transparência que esses dados trazem, quando adicionados ao conjunto de referências, geram mais segurança na tomada de decisão e a garantia de que o investimento feito será sustentável a longo prazo.

Para contribuir nesse cenário, o setor imobiliário e de construção civil devem reduzir sua pegada de carbono, pois esse nicho é um dos maiores responsáveis pela emissão de CO2, contribuindo negativamente com 40% dos totais de emissões. A pegada de carbono de um edifício é medida em kg CO2eq, isto é, a quantidade expressa em quilo equivalente de gás carbônico dos principais gases de efeito estufa (dióxido de carbono, metano, óxido nitroso, etc).

Daí a importância de um regulamento, até agora limitado principalmente no quesito consumo de energia, para uma regulamentação ambiental que abrange tanto os equipamentos integrados no empreendimento e o impacto da própria obra, como o consumo de água e energia do edifício durante uma vida útil teórica de 50 anos.

A e-Vertical lembra que no dia 01/01/2021 entrou em vigor o novo regulamento ambiental RE2020, destinado a reduzir o impacto de carbono dos edifícios novos, otimizando o desempenho energético e diminuindo custos e prejuízos. Confira exemplos de ações a serem adotadas: 

Monitoramento do consumo de água

  • Instalação de sensores no percurso da água para detecção de vazamentos; 
  • Instalação de medidores de água para análise de consumo nas diferentes áreas do empreendimento e entender onde é gasto e se ações estão sendo positivas ao longo do tempo;
  • Instalação de telemetria de reservatórios e bombas para detecção de desperdício de água;
  • Manutenção de equipamentos e sistemas envolvidos na monitoria do sistema de água;
  • Entre outros.


Eficiência energética

  • Ações de controle de iluminação e de eficiência de energia em sistemas de ar-condicionado (alteração de programação horária, uso de ar externo, apontamento de ineficiências);
  • Implantação de inversores de frequência para otimização de uso da energia;
  • Redução de gases produzidos, adotando lógicas de descarte de cargas e reduzindo o consumo do empreendimento quanto estiver pelo gerador (para isso, é necessário que sejam alinhados os processos existentes nos empreendimentos);
  • Entre outros.


Qualidade do ar

  • Automação de sistemas de renovação de ar e integração a plataformas de monitoramento para detecção de incidentes relacionados;
  • Monitoramento da qualidade de ar interno, caso o nível de CO2 ultrapasse seu limite, provocando sintomas como cansaço, falta de concentração e, consequentemente, baixa produtividade dos colaboradores;
  • Manutenções preventivas aderentes ao PMOC, que estabelece as normas sobre os processos de limpeza e conservação de sistemas de climatização;
  • Entre outros


Redução da emissão de carbono dos empreendimentos

  • Implantação de medidores de energia, água, combustíveis e energy valves para medição dos gastos com insumos, possibilitando construir e acompanhar os resultados dos planos de ação de redução da pegada de carbono;
  • Manutenção preventiva nos equipamentos, evitando perda de performance de Chillers, Torres de Resfriamento, Fancoils, Bombas e demais ferramentas;
  • Entre outros


Como o ESG está inserido nos projetos da e-Vertical
Dentro de todo este contexto, a e-Vertical já se conscientizou sobre a importância de assumir seu papel como empresa parceira na jornada de redução de carbono, gerando impacto positivo por meio de seus produtos e serviços, e contribuindo com os diversos segmentos de Real Estate, dentre eles, edifícios comerciais, empresas, Data Centers, galpões logísticos, shoppings, hospitais, hotéis, entre outros. 

Quer saber mais? Então acesse nosso site: www.evertical.com.br/institucional

Artigos relacionados

Duis autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse consequat vel illumdol

VER TODOS
Dia Mundial da Energia: como o sistema BMS pode tornar seu empreendimento mais sustentável
LEIA MAIS
Como a automação predial pode ser uma grande aliada do seu Data Center
LEIA MAIS
Smart Buildings: quando automação predial e inteligência artificial caminham juntas
LEIA MAIS

2021 © e-Vertical Todos os Direitos Reservados.

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais.