Blog

Novo Plano de Ação Climática do Município de São Paulo | Seu empreendimento adequado com o uso da automação predial


Nesse mês de junho de 2021 o prefeito Ricardo Nunes lançou o Plano de Ação Climática do Município de São Paulo (PlanClima SP), cujo objetivo é zerar a emissão de gases que provocam o efeito estufa na capital paulistana até 2050. Serão 58 ações desenvolvidas em parceria com a rede internacional C40 – Grupo de Grandes Cidades para Liderança do Clima, para atingir as metas da agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

O desafio nesses próximos 30 anos está no desenvolvimento de uma estratégia para neutralizar esses gases, envolvendo diversos pontos críticos da metrópole como a eficiência energética nas edificações, o trânsito e a demanda por transporte, a requalificação dos espaços públicos, o combate ao desperdício de alimentos, o plantio de árvores, a proteção das nascentes e dos cursos d´água e a educação ambiental nas escolas, por exemplo.

O papel dos empreendimentos na redução da pegada de carbono

Já é de conhecimento geral a contribuição do setor imobiliário e de construção civil para o efeito estufa. Esse nicho é responsável por 40% da emissão de CO2 na atmosfera e o problema se torna maior nos grandes polos econômicos, concentrando maior parte da população e, consequentemente, um maior número de edifícios. Portanto, as ações devem ser focadas com mais empenho em uma metrópole como São Paulo, detentora de uma grande parte dos edifícios do país, sedes de grandes empresas nacionais e multinacionais.

O conceito ESG (Environmental, Social and Governance) foi criado como uma métrica para avaliar o desempenho das organizações, estabelecendo critérios de conduta nas áreas ambiental, social e de governança. Companhias e fundos já estão posicionados ou se movimentando para definir estes critérios e apresentá-los como diferenciais no mercado. É preciso ter a consciência de assumir seu papel como empreendimento parceiro na Jornada Carbono Zero. Ao elaborar projetos, é necessário entender não só o impacto gerado, mas principalmente como é possível desenvolvê-lo para uma emissão menor de CO2.

Como a automação predial pode contribuir na Jornada Carbono Zero?

A automação predial e a Operação BMS são ferramentas de apoio aos empreendimentos para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Podemos separar o processo de utilização da automação em 03 passos:


·      
O primeiro passo é medir os gastos energéticos do local (afinal, o que não se mede, não se controla).

·      
O segundo passo seria automatizar os processos para o uso mais eficiente dos recursos energéticos (reprogramação horária, controle por ocupação, reaproveitamento de ar externo, entre outros exemplos).

·  
O terceiro passo é a geração de alertas de eventuais problemas em equipamentos e processos prediais que possam impactar em desperdício energético.

A Operação BMS tem importante papel em identificar a oportunidade de criação de novos e melhores alertas, além de automações e smart bots complementares à automação local.

A e-Vertical, líder no mercado de automação predial, possui uma Central de Operações que atua 24 horas por dia, 07 dias na semana, utilizando as melhores soluções para que seu empreendimento esteja adequado ao Plano de Ação Climática do Município de São Paulo. Para saber mais, entre em nosso site: www.evertical.com.br

 

Artigos relacionados

Duis autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse consequat vel illumdol

VER TODOS
04 recursos do sistema de reconhecimento facial no controle de acesso
LEIA MAIS
04 Dicas para reduzir custos em seu empreendimento
LEIA MAIS
Operação Remota de BMS e-Vertical: automação que ultrapassa fronteiras
LEIA MAIS

2021 © e-Vertical Todos os Direitos Reservados.

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais.